Bull e bear markets: Definição e como distinguí-los
Home > Bull e bear markets: Definição e como distinguí-los
Mariana Scabello
out 24, 2022 7 mins read

Bull e bear markets: Definição e como distinguí-los

Bull market” e “bear market” são dois termos que você vai ler e ouvir com frequência ao investir e negociar criptomoedas e outros ativos. Eles são frequentemente usados ​​por traders para descrever o estado atual do mercado e se ele está ou não desfrutando de um período prolongado de aumentos ou de declínios.

Se você espera ganhar dinheiro com o comércio de criptomoedas, é fundamental que você esteja ciente desses termos e entenda o que eles significam. Eles podem não apenas ajudá-lo a determinar quando pode ser um bom momento para investir, mas também quando é um bom momento para manter seus investimentos ou talvez vendê-los antes que seu valor caia consideravelmente.

Neste guia da AAG Academy, ensinaremos o que são exatamente o bull e bear markets, o que significam para o setor e por que você deve se preocupar com eles.

O que é bull market?

O termo “bull market” é amplamente utilizado pelos traders para descrever um mercado no qual os preços estão subindo ou espera-se que subam em breve, basicamente significa que o mercado está em tendência de alta. Há muito tempo é usado em referência ao mercado de ações, mas hoje em dia também é usado para descrever mercados nos quais quase tudo é negociado, incluindo títulos, moedas, commodities e criptomoedas.

​​É importante notar que o valor de todas essas coisas, especialmente criptomoedas, flutua com frequência, então o termo bull market só se aplica quando uma grande parte do mercado viu ou espera ver aumentos de preços por um período prolongado de tempo — e esse aumento normalmente excede 20%. Os mercados em tendência de alta podem durar muitos meses ou até anos.

Bull markets geralmente ocorrem quando a economia está forte ou se fortalecendo, e muitas vezes são acompanhados por aumentos no PIB (produto interno bruto), aumento dos lucros, no que diz respeito às empresas públicas, e aumento da confiança dos investidores. As criptomoedas também tendem a ter um desempenho melhor quando a economia está saudável.

Como os mercados em tendência de alta são incrivelmente difíceis de prever antes que aconteçam, às vezes não percebemos que um Bull market ocorreu ou está ocorrendo até que estejamos bem dentro dele ou tenha terminado.

Examplo de um bull market

O maior exemplo ​​de um mercado em tendência de alta é, também, o mais longo da história da negociação. Começou em março de 2009, logo após o término da Grande Recessão, e durou até março de 2020, período em que o mercado de ações do S&P 500 subiu mais de 320%. Seu fim foi atribuído a uma guerra comercial entre a China e os EUA, ao Brexit e é claro, a COVID-19.

S&P 500 também desfrutou de um longo mercado em alta entre 2003 e 2007, período durante o qual subiu mais de 100%. Antes disso, houve a “grande expansão” entre 1990 e 2000, quando as empresas de tecnologia cresceram por causa do sucesso da internet, levando a um aumento total do índice de mais de 400% durante um período de nove anos.

Dentro do setor de criptomoedas, um dos Bull markets mais notáveis ​​ocorreu em 2017, quando o preço do Bitcoin, depois de finalmente ultrapassar o marco de US $1.000 em janeiro, continuou a ter ganhos maciços até ultrapassar US $19.000 (um recorde histórico na época) em Dezembro. Isso tornou muitos investidores de Bitcoin milionários em um espaço de tempo muito curto.

Investindo no bull market

A maioria dos traders vê o Bull market como um momento para comprar e manter seus ativos enquanto seu valor está subindo. É melhor entrar rápido, mas, novamente, com mercados em alta sendo difíceis de prever e reconhecer nos primeiros dias, isso nem sempre é possível. Também é difícil determinar quais ativos aumentarão (nem todos têm garantia de fazê-lo) e quando a tendencia de alta terminará.

Em um mundo ideal, os traders comprariam cedo – no início de um Bull market – e depois venderiam seus ativos pouco antes de terminar, quando o preço estiver no nível mais alto. Mas você não precisa necessariamente prever o começo e o fim do mercado em alta para obter lucro. Você apenas tem que evitar comprar tarde demais.

O que é um bear market

O termo “bear market” é usado para descrever o oposto de um mercado em alta. É quando o mercado está passando por um período contínuo de declínio, durante o qual o valor de uma grande parte dos ativos cai consideravelmente – geralmente em pelo menos 20% – e os traders estão predominantemente pessimistas em suas perspectivas. É basicamente um mercado com tendencia de queda, ou um mercado em baixa.

Assim como o Bull market, o Bear market geralmente é desencadeado por uma economia fraca ou enfraquecida na qual o PIB cai e as empresas relatam lucros em declínio. Isso pode ser desencadeado por vários motivos, incluindo desastres naturais, conflitos e tensões entre diferentes países, ou mesmo pandemias, como o COVID-19. Com relação as criptomoedas, um Bear market faz com que os valores caiam.

Os mercados com tendência de queda às vezes podem ser mais fáceis de prever do que os mercados em alta, pois podemos esperar a influência de certos fatores externos. No entanto, a extensão de um Bear market, o quão significativamente os preços cairão, ou sua duração, são igualmente impossíveis de determinar.

Exemplos de bear market

Todos os exemplos de Bull markets listados acima foram seguidos por Bear markets, nos quais o preço das ações, moedas e outras commodities caíram por um período prolongado de tempo. Mas talvez, o melhor exemplo seja aquele que estamos vivendo atualmente: o mercado em queda de 2022, que já viu o S&P 500 cair 20% até agora como resultado da inflação e da crise do custo de vida.

Isso também levou a quedas significativas para uma grande parte do setor de criptomoedas. Olhando para o Bitcoin novamente, simplesmente porque é a maior criptomoeda do mundo em termos de valor, percebemos que caiu de um pouco menos de US$ 40.000 em janeiro, para um pouco mais de US$ 20.000 hoje.

Bear market vs. correções

É importante lembrar que um Bear market é diferente de uma correção de mercado. Uma correção é quando o mercado cai mais de 10%, mas menos de 20%, em relação ao seu pico mais recente. É chamado de “correção” porque, em vez de cair além da marca de 20%, que o configuraria como mercado em queda, os preços aumentam gradualmente e retornam ao valor do último pico, ou pelo menos proximo disso.

Uma correção pode acontecer durante um Bull market ou às vezes pode sinalizar o início de um mercado em tendência de alta, mas isso é muito raro. Desde meados da década de 1970, apenas cinco correções levaram a Bear markets no que diz respeito às ações, de acordo com dados da Morningstar.

Investindo no bear market

Investir em durante um Bear market pode parecer uma má ideia à primeira vista, já que ninguém sabe quanto tempo um mercado em tendencia de queda durará ou quanto os preços irão cair. No entanto, se você não está com pressa para obter lucro e está feliz em fazer um investimento a longo prazo, investir em um mercado em baixa pode ser tão lucrativo quanto investir antes de um mercado em alta.

Digamos, por exemplo, que um Bear market faça com que o preço de sua criptomoeda favorita caia e você invista enquanto ela está 30% abaixo. Há uma boa possibilidade de que caia ainda mais, mas quando o mercado em tendencia de queda terminar, há uma boa chance de que o preço acabe subindo para o pico anterior – ou ainda mais – fazendo com que seu investimento valha significativamente mais.

Novamente, investir em um Bear market requer ainda mais paciência, então certamente não é para quem deseja obter um retorno rápido. E como nada é garantido quando se trata de investir, é importante lembrar que você só investe o que pode perder.

Referências

Perguntas Frequentes

Isso depende da importância dos mercados de alta e queda. Idealmente, você gostaria de investir cedo em um Bull market e vender antes que ele acabe, quando os preços estão no pico. No entanto, pode ser igualmente lucrativo investir em um Bear market e esperar que ele termine se você tiver tempo. Tudo depende de como os preços flutuam em cada cenário, por isso é difícil dizer com certeza.

Um Bull market é melhor para quem deseja obter lucro mais rápido – e geralmente sinaliza uma economia forte em geral. No entanto, os Bear markets não são necessariamente más notícias.

Se você deseja aproveitar as flutuações de preços substanciais durante os mercados em tendência de alta e queda, é importante ficar de olho não apenas nos mercados de criptomoedas, mas também nos mercados de ações e, de fato, nos eventos mundiais. Os eventos mundiais,, particularmente aqueles que afetam a economia, quase sempre têm impacto nos mercados de ações, e os mercados de criptomoedas seguem o exemplo.

Was this article helpful?
YesNo

Ainda tem alguma dúvida? Pergunte no nosso Discord

Compartilhe esse Artigo:

Sobre o autor

Mariana Scabello
Country Manager
Brazil
Tradutora interna da AAG para comunidade da língua portuguesa, criadora de conteúdo e experiente no mundo editorial.

Aviso Legal

Esse artigo foi feito para divulgar informações gerais para ajudar a educar um segmento amplo do público; não deve servir como informações de investimento, legais, ou como qualquer outro tipo de recomendação profissional ou empresarial. Antes de tomar quaisquer ações, você deve sempre consultar seu próprio profissional legal de finanças, de imposto, de investimento ou qualquer profissional que possa dar recomendações em assuntos que afetem a você e seu negócio.

Explore Web3 & Metaverses intuitively with MetaOne®
Download

Seja o primeiro a receber notícias

Seja o primeiro a receber a newsletter sobre nossa empresa, com atualização de produtos e de mercado.

🍪
We use cookies to make your experience better. Learn more: Privacy Policy
Accept

Explore Web3 & Metaverses intuitively with MetaOne®

Download
Download MetaOne